quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Hallowen ou ocultismo e adoração ao Diabo!?‏

Halloween: será apenas mais uma inocente festa folclórica e sem sentido?

Como se poderá esperar, não há nada de simpático neste tipo de celebrações nas quais se pretende chamar masivamente as crianças, seguramente com o proposito de despertar neles uma simpatia maior tolerando e não se questionando diante dessas praticas.

Aproximadamente trezentos anos antes do Nascimento de Cristo, os celtas viveram nas ilhas Britânicas, Escandinava e Europa Ocidental. Eram uma sociedade como qualquer outra de hoje, mas seus costumes foram controlados por uma sociedade de sacerdotes pagãos chamados druidas. Eles adoravam e serviam a Samhain, deus da morte. Cada ano, em 31 de outubro, os druidas celebravam a véspera do ano novo céltico em honra de seu deus Samhain.” As raizes pagãs da celebração se atribuem à celebração celta de Samhain do culto aos mortos. Se trata de uma tradiçao anterior a da invasão dos romanos (46 a.c) nas ilhas britânicas, emoldurada religião dos druidas na Inglaterra, França, Alemanha e nos paises célticos.


Sabe-se bem que pouco dessas celebrações, parece que as festividades de Samhain se muito posteriormente entre 5 e 7 de novembro (Na metade do equinócio de verão e solstício de inverno) com uma serie de festividades que duravam uma semana, finalizado com a festa dos mortos, que davam inicio ao ano novo celta. Em nesta festa, os druidas, a maneira de médiuns, se comunicavam com seus antepassados esperando ser guiados nesta vida em direção à imortalidade. Os druidas acreditavam que nessa noite em particular os espíritos dos mortos regressavam a seus antigos lares para visitar aos vivos. E se os vivos não davam comida a esses espíritos malignos, toda classe de coisas terríveis poderiam ocorrer. Se os espíritos malignos não eram recebidos com um “festin” (treat), então eles fariam travessuras más aos vivo (trick).”


Trick-or-treat, treta ou trato (origem de doce ou travessura). Os sacerdotes druidas iam de casa em casa exigindo alimentos e em alguns casos crianças e virgens para serem oferecidas em sacrifício ao seu deus Samhain, no festival da morte. Caso eram cumpridas as exigências dos sacerdotes de Samhain, era feito um trato (treat) e eles iam em paz. Se as pessoas da aldeia não cumprissem as exigências dos druidas eles lançavam uma maldição sobre a casa inteira, que segundo a qual, alguém desta família morreria neste mesmo ano. Esse era a trampo ou treta (trick).


Jack-o-lanterna (a cabeça de abóbora símbolo do Halloween): Os druidas levavam com eles um grande nabo, o qual haviam tirado o miolo, e com uma cara talhada na frente, para representar o espírito demoníaco do qual recebiam seu poder e conhecimento, o mesmo que se encarregaria de livra-los de toda maldição e iluminar seus caminhos. Este espírito se chamava “espírito familiar”. O nabo, com uma vela acendida dentro era uma lanterna para os druidas pela noite. Eles chamaram “Jock” ao espírito da lanterna.


Muitos se perguntam de como entraram essas festas na Tradição Cristã? Ora, quando Constantino se tornou Imperador de Roma, fez uma lei que declarava o Cristianismo como a religião oficial do Império. Constantino exigiu, como imperador, que cada um se disesse cristão ou enfrentariam a pena de morte.

Desde o IV século, a Igreja da Síria consagrava um dia a festejar a “Todos os Mártires”. No ano de 610 o Papa Bonifácio IV dedicou o Pantheon a título de Basílica de "Nossa Senhora e Todos os Martires Cristãos" ( o Pantheon era um antigo templo pagão dedicado a todos os deuses). A tradição Celta entrou com maior força no século VIII, quando a igreja romana estabeleceu o dia 1º de novembro como o Dia de Todos os Santos, em inglês “All Saints Day” e anteriormente “All Halows Day,” de onde deriva posteriormente a palavra Halloween, que provém de “All Hallows Eve” que significa precisamente, “Noite de Todos os Santos”. Sem engano algum, esta tradição européia se difundiu pelo mundo através dos Estados Unidos, com o desarranjo tecnológico.


A festa em Honra a Todos os Santos, inicialmente se celebrava em 13 de Maio, e foi transportada pelo papa Gregório III (741) para 1º de novembro, dia da “Dedicação” da capela de Todos os Santos na Basílica de São Pedro em Roma. Mais tarde, no ano de 840, o Papa Gregório IV ordenou que a festa de Todos os Santos fosse celebrada universalmente.


Como festa Maior, ganhou uma Vigília Solene (31 de outubro). Esta Vigílha foi chamada pelos ingleses de “All Halow\’s Evens” (Vigílha de todos os Santos). Aqui podemos encontrar a sua origem no termo “Halloween”.


Por outro lado desde do ano 998, São Odilon, abade do monastério de Cluny (no sul da França) havia aludido a celebração do 2 de novembro, como uma festa para orar pelas almas dos fieis que haviam falecido, por isso foi chamada de “Festa dos Fieis defuntos” a qual se difundiu na França e logo em toda a Europa”.
A Igreja fora inundada com os pagãos não convertido, que eram forçados a integrar-se à Igreja Católica ou então a perder suas vidas por desafiar ao imperador. Os recéns agregados traziam consigo todas as suas práticas e idéias pagãs para o interior da Igreja, inclusive “a festa de Samhain” e exigiam que esta festa segui-se como parte integrante de suas vidas. Posto que a Igreja havia fracassado em eliminar as praticas pagãs deles, decidiram usar “ a seu modo” algumas delas, especialmente este ritual de 31 de outubro.


A cultura popular chamou a celebração de “All Hallomas” e com o passar do tempo a tarde do dia anterior à 1º de novembro começou a ser chamada de “All Hallomas Eve”, e posteriormente evoluindo pouco a pouco para se chamar “All Hallow\’s Eve”e em seguida “All Hallowed Eve”, “All Hallow E\’em” (evening), e finalmente Halloween.


A observância pagã continuou em 31 de outubro, e no dia da festa “Cristã” foi observado o 1º de novembro. O povo não celebrou seus ritos de adoração pagã aos demônios para estár “nova véspera” estabelecida pela Igreja.

Significado Oculto


A festa de Halloween, que é a festa de Samhain, todavia é hoje celebrada oficialmente pelos satanistas, ocultistas e adoradores do diabo como véspera do novo ano da Bruxaria.


As festas importantes para os satanistas, segundo a Igreja satânica relacionadas são:


2 de fevereiro: Noite das velas


21 de março: Equinócio de primavera

13 de abril: aniversario de satã


30 de abril: Inicio da estação esotérica


24 de julho: Terceira noite de tregenda. Proferem-se maldições e malefícios contra inimigos


31 de Julho: Rejeito as influencias dos malefícios

29 de setembro; Equinócio de outono


31 de outubro: Dia de satanás. Início do novo ano satânico.


21 de dezembro: primeira noite de tregenda, mistura de ritos demoníacos como de paganismo pré-cristão!


Segundo a pagina oficial da Igreja satânica, cada satanista deve se vestir com roupas de halloween no dia de sue aniversario e para certas cerimônias. Cada vez que se vestem com roupas de haloween se está participando de práticas ocultas dedicadas a satanás.


“The Satanic Bible” por Anton Szandor LaVey, acerca do hallowen diz “Se dedica que os maus espiritos, fantasmas, bruxas, feiticeiros estariam exercendo suas “artes” da forma mais fúnebre e aberta. Nesta noite, se cai, a fronteira entre o mundo dos vivos e o mundo dos mortos se acha mais frágil. Os vivos tomam suas precauções para proteger seus lares dos poderes destas entidades enquanto que os mais jovens fazem festas, buscando benevolência nos prazeres carnais, e buscando adivinhos para que eles ajudassem a encontrar seu companheiro adequado”.


Tolerância ao Satanismo


Como se poderá esperar, não há nada de simpático neste tipo de celebrações nas quais se pretende chamar masivamente as crianças, seguramente com o proposito de despertar neles uma simpatia maior tolerando e não se questionando diante dessas praticas. Esta situação deveria chamar-nos todos nós a uma reflexão, sobre tudo considerando os terríveis acontecimentos com sangue como o assassinato de um sacerdote por parte de um jovem adepto ao satanismo.


Com nosso tradicional duplo estandarte, por uma parte se rasga vestes frente à presença de supostas “seitas satânicas” e se descrimina ou persegue a jovens metaleiros ou góticos, pois por outra parte, se alimenta profundamente a participação em toda classe de atividades relacionadas com esta festa com o apoio de fortes campanhas de marketing.


Em poucos setores grupos de padres e apoderados se tem organizado para combater a influencia do Halloween por meio da celebração do “dia de todos os Santos” o qual resgata aspectos positivos como a fantasia, mas dando um sentido oposto ao terror e morte promovida por esta tradição importada.

Fonte http://radiocristiandad.wordpress.com/2006/10/25/origen-verdadero-de-la-fiesta-de-halloween-2/#more-543


Um comentário:

Bruno disse...

"Quando Constantino se tornou Imperador de Roma, fez uma lei que declarava o Cristianismo como a religião oficial do Império. Constantino exigiu, como imperador, que cada um se disesse cristão ou enfrentariam a pena de morte."

Isso não é verdade. Constantino somente deu liberdade de culto aos cristãos, outrora perseguidos.
Foi Teodósio quem declarou o cristianismo a religião oficial do Império, e ainda assim isso não significava proibição e pena de morte aos adeptos de outras religiões.